quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Jovem campista doa cabelos para pessoas com câncer

Maria Fernanda antes da doação
de 25 cm de seus cabelos.
Dados do INCA – Instituto Nacional do Câncer revelam que o número de casos de câncer infantil no Brasil está em crescimento. Somente para esse ano o órgão estima que surjam 12.600 novos casos. O câncer infantil corresponde a um grupo de várias doenças que têm em comum a proliferação descontrolada de células anormais e que podem ocorrer em qualquer local do organismo. O tratamento feito com base na quimioterapia, afeta a vaidade pessoal das pessoas por causa da queda dos cabelos.
Ao navegar nas redes sociais a campista Maria Fernanda, 15 anos, deparou-se com uma campanha empreendida pela Ong Rapunzel Solidária e resolveu participar doando 25 cm de seus cabelos para a Ong cuja sede fica em São Paulo-SP.
- Como sempre tive cabelos longos, pensei em cortá-los, mas pensei também que poderia ajudar alguém, já que toda menina tem vaidade, informou a jovem.
Maria Fernanda acrescentou que foi levada a esse gesto uma que “pensei no choque e sofrimento que envolve a descoberta do câncer. Imaginei a tristeza que seria para uma menina, que perde seus cabelos”.
De acordo com instruções da Ong Rapunzel Solidária, ao cortar 15 cm de cabelo o doador deve remetê-lo para a Ong que providencia a confecção de perucas para as meninas e adolescentes.
- Como a doação é para uma instituição não sei quem os recebeu, mas independente disso acredito que, quem os recebeu certamente ficou muito feliz, disse.
O gesto de Maria Fernanda, em benefício de uma pessoa que sofre por estar fazendo tratamento quimioterápico contra o câncer, chama a atenção, uma vez que milhares de adolescentes da sua faixa etária preocupam-se apenas com seu bem-estar e estão longe de contribuir para que haja uma sociedade mais justa e igualitária.
Corte de cabelo, não mudou aparência, 
pois eles ainda se mantém longos.
- Acho que o mais bonito da vida é a gratidão, e sou grata, por ter saúde e poder ajudar o próximo, reflete Maria Fernanda.
Maria Fernanda, neta do empresário José Luiz Lobo Escocard, considera importante o fato de haver pessoas – como ela -, que preocupam-se em ajudar aos seus semelhantes, enquanto há no mundo em Campos, adolescentes que ainda não encontraram um rumo na vida.
- Acho legal ajudar as pessoas, talvez esses jovens não sejam culpados por estarem perdidos ou confusos, porque muitos deles não possuem uma base familiar, com pais presentes que possam conversar como eu tenho. Por isso que tento ajudar as pessoas na medida do possível, concluiu.
Católica praticante, Maria Fernanda tem como hobbyes a leitura e a música. Cursando o 2º ano do ensino médio, ela já está viabilizando seu projeto para futuro ao estudar e se preparar para enfrentar o vestibular de medicina.
A Ong Rapunzel Solidária – O objetivo principal dessa Ong é receber mechas de cabelo para que sejam feitas perucas para crianças que estejam sob tratamento de quimioterapia. Por isso a meta da Ong é levar alegria a crianças que apesar de tão jovens são obrigadas a viver uma realidade dura, “porque para quem pode doar, o cabelo cresce, mas para quem precisa, não”, é o que informa a Ong. Vale ressaltar que até mesmo cabelos que estão quimicamente tratados ou com tintura, eles podem ser doados. Basta que a pessoa faça um corte de 15 cm e envie para o endereço da Ong.
O câncer - Os tumores mais frequentes na infância e adolescência são as leucemias (que afeta os glóbulos brancos), e os do sistema nervoso central e linfomas (sistema linfático). As crianças e adolescentes também sofrem com outros tipos de tumores como o neuroblastoma (tumor de células do sistema nervoso periférico) encontrados frequentemente na região abdominal; tumor de Wilms (tipo de tumor renal), retinoblastoma (tumor que afeta a retina, fundo do olho), tumor germinativo (em células que irão originar os ovários ou os testículos), osteossarcoma (tumor ósseo) e sarcomas (tumores nas partes moles do organismo).
No Brasil, assim como em países desenvolvidos, o câncer já representa a primeira causa de morte (7% do total) por doença entre crianças e adolescentes com idades compreendidas entre 1 e 19 anos em todo o país.
As regiões Sudeste e Nordeste são as que apresentam os maiores números de casos novos, com 6.050 e 2.750, respectivamente, seguidos pelas regiões Sul (1.320), Centro-Oeste (1.270) e Norte (1.210).
Salienta-se ainda que o tratamento do câncer na infância e adolescência teve progresso significativo nos últimos 40 anos. Atualmente, cerca de 70% das crianças acometidas por qualquer tipo de câncer podem ser curados, mas se forem diagnosticados precocemente e tratados em centros especializados.

Ascom ACIC
Data: 14/01/2016

Foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário