sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Acic e entidades parabenizam Comando do 8º BPM por manter a segurança

O recente episódio do cerceamento do direito de trabalhar imposto pelas mulheres dos PMs capixabas aos seus maridos na segurança de milhares de cidadãos residentes na região da Grande Vitória, trouxe também preocupação a sociedade fluminense.
Entretanto, em reunião ocorrida nesta tarde, na 2ª Companhia do Exército, sediada em Campos dos Goytacazes, os representantes da Associação Comercial e Industrial de Campos, Acic, da Câmara dos Dirigentes Lojistas – CDL, Sindicato do Comércio Varejista e Clube dos Amigos da Rua João Pessoa e Adjacências – Carjopa, resolveram agradecer de público ao Comandante do 6º RISP, Tenente-Coronel Baracho e ao Comandante do 8º BPM, Tenente-Coronel Fabiano Santos Silva e toda a Corporação militar do mesmo Batalhão pela decisão de manter os policiais nas ruas para garantir a ordem e a segurança de milhares de cidadãos campistas, sanjoanenses e fidelenses.
As entidades representativas de classe compreendem que o Estado do Rio de Janeiro vem passando por uma grave crise financeira, e que o salário destes profissionais que zelam pela segurança e a ordem nas ruas da cidade ainda é ínfimo diante do grau de responsabilidade que cai sobre os vossos ombros.
O presidente da Associação Comercial e Industrial de Campos, Acic, José Luiz Lobo Escocard também se manifestou sobre os boatos que surgiram dando conta de uma possível paralisação da categoria policial militar.
- É lamentável que em um momento tão difícil e crítico para o nosso Estado, na área da segurança haja pessoas de má índole, que divulgam boatos sobre a greve dos militares. Mas felizmente nossos valorosos policiais militares são pessoas sensatas e sabem que apesar das dificuldades econômico-financeiras que passa o Estado e o salário defasado, a segurança é elemento primordial para a paz e a ordem em nosso Estado, afirmou Escocard.
O presidente do Conselho Comunitário de Segurança, Ivanildo Cordeiro, lembrou que apesar do salário defasado de ambas polícias capixaba e fluminense, as políticas de segurança de ambos estados são completamente distintas.
- Sabemos que os salários dos PMs estão muito aquém do que deveriam receber, mas devemos ter em mente que os nossos problemas de segurança no Estado do Rio de Janeiro, são completamente diferentes e ainda mais complexos do que os problemas que ocorreram na Grande Vitória. Uma paralisação dos PMs no Estado do Rio, teria efeitos ainda mais catastróficos, disse Cordeiro.
Ambos presidentes da Acic e do Conselho Comunitário de Segurança, foram enfáticos em elogiar a postura do Comando da PM em nossa região por não aderir a um movimento de greve, mas de negociar com o Estado e continuar a trabalhar para manter a paz e a segurança na nossa região.
- Devemos salientar o trabalho que a PM de nossa região, Campos e Itaperuna vem fazendo para manter a paz, a segurança e a ordem, evitando e filtrando problemas que possam advir do solo capixaba, concluiu Cordeiro.

Ascom ACIC
Data: 10/02/2017
Foto: Ascom-Acic

Nenhum comentário:

Postar um comentário